Liberdade de escolha


Nos tempos áureos da tvcabo, quando não existia outra opção de escolha sobre canais privados, era comum as pessoas queixarem-se do mau serviço com a conversa que não existia alternativa. Depois apareceu o MEO, a bragatel, a cabovisão e outras, e as pessoas fizeram as suas escolhas pessoais, mas continuam a queixar-se que não existe alternativa, já que basicamente todas essas empresas têm os mesmos serviços e canais a preços equivalentes, etc.

Lembro-me que no final dos anos 80 ninguém lá do pessoal da escola sabia o que era a Apple ou o Mac, ou o Unix. A gente só conhecia o ZX Spectrum, Commodore e o MS-DOS, e no fundo ninguém tinha capacidade para perceber que eram apenas empresas que fabricavam máquinas ou software e nada mais. Era algo transcendente para chavalos de 15 ou 16 anos. Na altura o Ms-DOS era "O" sistema operativo dos PC's e ponto final, não existia mais nada.

Hoje em dia com o acesso á Internet a ser feito cada vez mais cedo pelos jovens, com todas as suas facilidades, com o fenômeno da entrega dos Magalhães aos putos nas escolas, (nos anos 80 para os pais, um computador fosse qual fosse era algo terrível que levava os filhos para os maus caminhos da falta de atenção e más notas!),

com tanta informação disponível, é muito mais fácil a criançada ter a percepção de que alternativas estão disponíveis e do que lhes será mais útil ou agradável escolher, seja a nível de formação, seja estilos de vida, seja *sistemas operativos*.

É fácil perceber o porquê da Microsoft ser uma "mãos largas" e oferecer tantos computadores, licenças windows e offices a instituições, ou de borla ou a preços muito baixos. São muito amigos de dar.

E também é fácil perceber porque é que a pirataria beneficia a própria Microsoft ao contrário do que poderia parecer á primeira vista. Eles perdoam!



Uma questão de mercado.

 

 


Segundo as estatísticas, parece que cerca de 90% de share do mercado usa o Windows como sistema operativo, ficando o Linux com 1% e os computadores da Apple com uns 5%, e os dados até podem estar certos!

Mas para quem ainda anda atento ao fenômeno atual da pirataria informática a nível global, ninguém acredita que toda esta percentagem dos 90% do windows seja referente a cópias originais!
Atrevo-me a pensar que pelo menos 50% serão cópias pirata do sistema operativo. Uma pesquisa no google sobre "wga" (o sistema anti-pirata windows genuine advantage) ou "remover wga" ou algo parecido, revela resultados muito sugestivos.

Mas prontos! o que interessa é que pirata ou não a Microsoft lá tem os seus 90%, e não perde dinheiro com isso. Sendo dominante no mercado, pode então ditar as suas regras como mais lhe convier, vender mais vezes o seu sistema operativo as empresas que fabricam computadores porque "é isso que toda a gente usa, está no share", escolher, forçar e impor o que vai ser as regras e o que vai ser o "comum" na informática amanhã, e o que vai desaparecer do mercado.

É claro que o que vai ser comum amanhã pode não ser o melhor nem o "bom" para todos nós, e o que vai desaparecer pode não ser o mau, mas simplesmente é o que convém a Microsoft porque não passa de uma empresa, e como todas as empresas quer é ganhar dinheiro.

Acho muito interessante todas essas histórias da Microsoft vender windows a países africanos pobres a preços muito baixos ou quererem o windows no computador Magalhães á força. caridade? ou será mais uma maneira de aumentar o monopólio? pois...
Envolver as crianças desde cedo no produtos Microsoft e terão um cliente para toda a vida, completamente dependente. A criança cresce, forma uma empresa e pôe microsoft, e todos os seus empregados terão que saber trabalhar com Microsoft porque é o que toda a gente usa, e quando surgir a próxima versão do Windows, toda essa gente e empresas, quais ovelhas atrás do pastor para o matadouro, avançará alegremente gastando pequenas fortunas em novos computadores e programas, porque "o word antigo não lê a nova versão dos documentos" ou "preciso de um computador novo, o meu já é velho, tem 2 anos" e outras idiotices, burlas qualificadas e (in)justificadas sem sentido.


O filme Avatar re-lançou a moda do "3D" no cinema. Logo alguem se lembrou de fazer televisões com "suporte 3D", a ver se pega. Se as empresas dominantes do mercado todas fizerem televisões 3D, toda a gente vai querer esse tipo de aparelhos poque é "fixe"! (mesmo que só exista meia dúzia de filmes 3D). as restantes empresas vão ter que ir atrás porque senão acabam na penúria. E mesmo que se daqui a uns anos os modelos destas televisões já não forem compatíveis com "filmes 2D", que se lixe! é a evolução! Converte-se todos os filmes antigos para compatibilidade com o suporte 3D, o que vai ser uma bela mina de ouro para alguns hehehe.


Vêem-me as lágrimas aos olhos de tanto rir (para não chorar) de cada vez que penso que hoje em dia é a Internet que tem que ser compatível com o windows, e não ao contrário.. Oh! a ironia!

Enganem-se os incautos que pensam que o Linux é difícil. A minha mulher tem o windows vista no PC dela. Grande confusão, porra! Grandes dores de cabeça! Até o "navegador de ficheiros" me parece demasiado confuso e sem opções.. Ou então já uso o Linux á demasiado tempo. (Graças a Deus).

 

Alguem que pouco perceba de computadores o que será mais fácil? configurar redes sem fios no windows? onde? como? registar? wga? virus? antivirus? firewalls? instalar "drivers"?? o que é isso? site do fabricante!? hmmm...

"E paguei não sei quantos €uros por esta porra!..."

Mas esta ultima frase ninguém ouve, porque ninguém se queixa, porque é assim mesmo que as pessoas estão habituadas a que os computadores funcionem.

 

 

Hoje em dia o Linux está mesmo muito fácil de usar (também pode ser incrivelmente complexo para quem quiser aprofundar os conhecimentos),

têm muito bom aspecto, é gratuito, e geralmente após a instalação é muito fácil e prático de ser usado para tarefas comuns (filmes, música, navegar, mails, messenger, textos, etc), sem grandes devaneios e sem precisar de linha de comandos para nada. Mas nem tudo é perfeito e pode correr tudo mal.

Os meus amigos que nunca experimentaram Linux, apenas ouviram falar ou porventura tiveram uma má experiencia inicial com o mesmo (voltaram logo para o windows pirata), naturalmente falam bastante mal do sistema operativo do pingüim.
Não aceitam de maneira alguma que o Linux dê um erro ou que algum programa não funcione corretamente, e desistem logo dizendo "grande merda" entre umas risadas.
Mas aceitam "naturalmente" que o seu windows bloqueie sem motivo aparente, que os programas do windows dêem erros, que o computador fique cada vez mais lento com o tempo, que tenha que ser reiniciado sempre que instala um "driver" ou que apanhem meia-dúzia de vírus ou que tenham que esperar horas sem fim para desfragmentar o disco, entre outras coisas.

- É normal. - Dizem.



Cheers!

publicado por Adelino às 09:45 | favorito