Wardriving


O meu portátil tem cerca de 10 anos. É um compaq presario 1700 que apesar de ter o leitor de DVD avariado, a bateria não está assim tão viciada e permite perfeitamente trabalhar no quintal.

O velho portátil não tem wireless integrado como os atuais computadores, pelo que para quem tem um como o meu, comprar uma dessas canetas wireless USB que custam cerca de 15 €uros, é uma maneira de actualizar a máquina e deixa-la bastante equivalente a um moderno portátil de hoje em dia, podendo depois ser usado nos hotspots ou noutra divisão da casa, etc.

 

A vulgar caneta wireless USB do meu portátil

 

 

No meu apartamento da cidade apanho cerca de 10 redes, tudo dos vizinhos do prédio e arredores, se for para a varanda ainda apanho mais, quase todas bloqueadas, mas algumas nem por isso, o que permite o acesso a qualquer um, embora isso possa ser um risco para quem se ligue a tal rede desconhecida. Uma maneira simples de testar a sua provável fiabilidade é aceder á página interna do modem alheio, o que se estiver totalmente desbloqueada poderá indicar que realmente não está de propósito á procura de vítimas que se liguem, mas que foi descuido da pessoa que não configurou a coisa, embora nunca seja de fiar.

Aqui á uns meses, eu e a minha Mulher numa viagem de cerca de uma hora entre Lisboa e a nossa casa, decidimos ir de portátil ligado para ver o que apanhávamos de redes de acesso wireless. Embora a nossa ideia fosse apenas fazer uma pequena pesquisa por brincadeira,  parece que nos estados unidos isso é muito comum, tendo o nome de wardriving.

Existem uma série de programas para Linux chamados wireless sniffers, que vasculham a área em busca de redes. Uma lista desses programas pode ser encontrada aqui.

A nossa viagem foi algo alucinante, do ponto de vista dos resultados, digamos que em cada pequena localidade que passamos havia dezenas e dezenas de conexões wireless, algumas com nomes SSID muito engraçados, e muitas delas sem qualquer tipo de proteção, embora pelo menos duas dessas pareceram suspeitas.. Seria o velho truque MITM ?...


A analise final foi que das 376 redes detectadas 89 estavam desbloqueadas, quase um terço, referindo-se este pseudo-estudo á provincia, portanto já fora de Lisboa.

 

 

Mas no geral foi porreiro perceber o quanto a internet está a ser usada por tanta gente fora das cidades. Talvez um dia exista um qualquer tipo de serviço em que uma rede de wireless abranja Portugal todo, como uma rede de telemóveis, talvez gratuito, e a pessoa, em qualquer lado só tinha que se ligar.

 

Apenas uma semana após a nossa viagem de wardriving, uma manhã de Sábado, reparei que o vizinho do quintal ao lado, um homem já com idade para ter juízo, estava estranhamente com o portátil no parapeito da janela lá da casa dele.

Deu-me um chilique quando fui ver o nosso router e descobri que estava totalmente aberto a ligações alheias.

- O gajo que pague a net dele! -

5 minutos depois já estava tudo bloqueado, o vizinho tinha apenas acedido á internet através do nosso aparelho, nada pareceu comprometido, ok.

Mas decerto este episódio não deixa de ser um dos meus maiores falhanços na minha epopeia pelo mundo informático...  já vi que nem nos vizinhos do lado se pode confiar...

publicado por Adelino às 10:27 | favorito
tags: ,