Triste Poesia

 

Percebo tanto de poemas, poesia e afins como qualquer pessoa vulgar. Na escola o meu português nunca foi lá grande coisa, e a poesia, oh a poesia!...



Peguei num script que escolhe uma linha ao calhas dentro de um ficheiro e criei o

 

*Fabuloso Gerador de Poesia Aleatória e outras frases bonitas!*

 

heheh

 

 

 

#!/bin/bash
#poesia

echo
while [ 1 ]
do
echo
ficheiro='poesia_data'
let "n=${RANDOM}%$(wc -l < $ficheiro)"
head -n $n $ficheiro | tail -1
ficheiro='poesia_data2'
let "n=${RANDOM}%$(wc -l < $ficheiro)"
head -n $n $ficheiro | tail -1
ficheiro='poesia_data'
let "n=${RANDOM}%$(wc -l < $ficheiro)"
head -n $n $ficheiro | tail -1
sleep 5
done

 

 

 

 

 

Exemplo do resultado

 

 

Sem dúvida devem existir maneiras melhores de fazer isto.. mas prontos..

 

copy/paste num editor de texto e gravar por exemplo como poesia.sh e mudar a permissão do ficheiro para puder ser executado com chmod +x poesia.sh

Para correr o programa  executar na consola:

 

$ ./poesia.sh

 

no directório do mesmo.

O programa corre em loop infinito no terminal, para o parar é preciso pressionar ctrl+c.

Pois na verdade este script vai buscar palavras a dois ficheiros, um chamado poesia_data e outro chamado poesia_data2 que são simples ficheiros de texto que precisam de ser criados pelo utilizador no mesmo directório.

No poesia_data coloquei uma serie de frases em cada linha, tipo:

oh madrugada lânguida
no meu desespero

pela longa estrada

etc

e no poesia_data2 apenas um grupo de frases ou palavras curtas, como:

no entanto
então vi
mas

etc

 

O programa limita-se a fazer um loop infinito de 3 passagens, e em cada uma delas captura uma linha aleatória de cada ficheiro criando assim uma pseudo-frase que ás vezes até faz algum sentido poético..

 

Seria porreiro alguem recitar poesia escrita pelo computador...

 

 


Para quem estiver interessado em usar o programa com a minha lista de frases aqui fica o link para o ficheiro que inclui também este script.

Será divertido inventar com isto, até mesmo colocar o programa a criar ele mesmo longas frases palavra a palavra, que acredito possam parecer estranhamente coerentes de vez em quando...

...Outra coisa interessante que me lembrei foi por o programa de voz do Linux, o festival, a recitar a poesia, com

./poesia.sh | festival --tts


Mas com voz em Inglês não se percebe nada, a menos que as frases estivessem em Inglês.

O espanhol não me convence, e parece-me que por enquanto não existe a língua portuguesa nesse programa, pelo que limito-me a recitar a poesia do computador bem alto a plenos pulmões e em estilo muito dramático..

 

 

 

Cheers!!!


publicado por Adelino às 08:10 | favorito
tags: ,